Você sabe o que é Ceratocone?

O QUE É CERATOCONE?

O ceratocone é uma doença oftalmológica que afeta a córnea, a parte transparente do olho. A origem exata do ceratocone é incerta, porém se sabe que uma história familiar positiva ou alergia nos olhos são fatores que aumentam as chances de uma pessoa desenvolver a doença.

É uma doença progressiva, que pode levar a uma deterioração da visão de ambos os olhos, afetando até mesmo a capacidade do paciente ler, dirigir e exercer suas atividades rotineiras.

ceratocone imagem

A córnea normalmente tem uma forma esférica e é formada por centenas de camadas ligadas entre si por fibras de colágeno. No ceratocone essas ligações de colágeno entres as camadas da córnea se enfraquecem, levando a um afinamento e relaxamento progressivo do tecido e consequente deformação, a qual passa a ter o formato menos esférico e mais parecido com um cone (a palavra ceratocone vem do Grego – kerato: cornea; konos: cone).

Diagnóstico

O diagnóstico preciso da doença é obtido pelo oftalmologista usando exames de imagem, tais como, topógrafos e tomógrafos corneanos. É comum o ceratocone afetar os olhos de maneira assimétrica, ou seja, pode primeiramente ser diagnosticado em um dos olhos e somente mais tarde no outro.

ceratocone imagem2

Fonte: All About Vision

Fatores de Risco

Fatores de risco para o ceratocone incluem: esfregar os olhos, histórico familiar desta patologia, predisposição genética, algumas desordens sistêmicas como Síndrome de Down, alergia ocular, doença do tecido conectivo e uso de lentes de contato rígidas mal adaptadas por longo período de tempo.
Estudos indicam que 50% dos membros de uma mesma família podem apresentar a doença.
Mas, o ceratocone também pode ocorrer sem que nenhum outro membro da família seja afetado. A doença é bilateral em 90% dos pacientes.

Sintomas

Nos estágios iniciais, os sintomas se assemelham com a necessidade de usar óculos. À medida que a doença progride, a visão se deteriora, a acuidade visual torna-se prejudicada em todas as distâncias e a visão noturna é muitas vezes a mais comprometida.

Algumas pessoas desenvolvem fotofobia (sensibilidade a luz), cansaço visual após a leitura ou coceira nos olhos. Geralmente há pouca ou nenhuma sensação de dor. 

O ceratocone pode causar substancial distorção da visão, gerando sombras ou halos em torno das imagens.

ceratocone visao

Tratamentos Tradicionais

Até poucos anos não havia uma maneira bem sucedida de interromper a evolução do ceratocone.
As lentes de contato eram usadas como tratamento temporário. O seu uso não reduz a progressão da doença e cerca de 10% a 20% dos pacientes não obtém melhora da visão com o uso das lentes.

Os implantes de anéis intraestromais (anel de Ferrara) tiveram grandes avanços tecnológicos nos últimos anos, porém, apenas corrigem os erros refrativos (miopia e astigmatismo) e tem pouco efeito sobre a progressão natural do ceratocone.

O transplante de córnea é a alternativa cirúrgica para tratar os casos mais avançados de ceratocone. As técnicas mais modernas desta cirurgia (transplantes parciais ou lamelares) reduziram significativamente a incidência de complicações e aumentaram as taxas de sucesso do transplante de córnea.

A recuperação visual após um transplante de córnea pode levar mais de um ano e há grande possibilidade de que o paciente precise usar óculos ou lentes de contanto para ter uma boa visão.

Crosslinking do Colágeno

Até poucos anos não havia uma maneira bem sucedida de interromper a evolução do ceratocone. Um tratamento baseado no aumento das ligações transversais (crosslinking) do colágeno corneano, através dos raios ultravioleta A (UVA 365 mm) e da riboflavina (vitamina B2), foi lançado recentemente.

Este tratamento muda as propriedades biomecânicas da córnea, aumentando sua resistência em cerca de 300% e mostrou-se capaz de deter a evolução do ceratocone em numerosos estudos em todo o mundo.

O tratamento é realizado em regime cirúrgico ambulatorial e dispensa internação. Geralmente cada olho é tratado pelo oftalmologista uma única vez.

O objetivo do crosslinking é reduzir ou mesmo eliminar a evolução da doença e assim, evitar a necessidade do transplante de córnea.

Os pacientes podem continuar tendo a necessidade de usar óculos ou lentes de contato após o tratamento. Em certos casos, o oftalmologista poderá associar o tratamento de crosslinking com o implante de anel corneano intraestromal (anel de Ferrara).

Conheça os especialistas da área: