Abril Marrom: Você está cuidando bem da sua saúde ocular?

O Hospital de Olhos de Blumenau abraça a causa do Abril Marrom.

O mês é destinado à conscientização sobre a importância da prevenção e combate às diversas causas de cegueira. Atualmente, estima-se que a cegueira afete 39 milhões de pessoas em todo o mundo e que 246 milhões sofram de perda moderada ou severa da visão. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS) e constam no recente documento “As Condições da Saúde Ocular no Brasil 2019”, elaborado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Uma boa notícia é que o CBO garante que cerca de 74,8% dos casos de cegueira e deficiência visual podem ser prevenidas ou curadas.

As consultas de rotina com um médico oftalmologista são fundamentais para a prevenção de tratamento de doenças como o glaucoma, a degeneração macular avançada e a retinopatia diabética, entre outras.

Durante esse mês de abril você conhecerá quais as principais doenças que podem prejudicar a sua visão. Fique de olho nas nossas redes sociais e nosso site hob.med.br.

Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/geral-48634186

>> Você sabe o que é GLAUCOMA?

Glaucoma é uma doença ocular causada principalmente pela elevação da pressão intraocular que provoca lesões no nervo ótico e, como consequência, comprometimento visual.
Se não for tratado adequadamente, pode levar à cegueira.

Há vários tipos, o glaucoma crônico simples ou glaucoma de ângulo aberto, que representa mais ou menos 80% dos casos, incide nas pessoas acima de 40 anos e pode ser assintomático. Ele é causado por uma alteração anatômica na região do ângulo da câmara anterior, que impede a saída do humor aquoso e aumenta a pressão intraocular.

Glaucoma de ângulo aberto
Nesta forma o líquido não drena adequadamente para fora do interior do olho, o que faz aumentar a pressão ocular reduzindo gradualmente a qualidade da visão. Isto pode ocorrer ao longo de um período de tempo prolongado por isso pode ser difícil de detectar a menos que tenha consultas agendadas para diagnóstico de glaucoma.

Glaucoma de ângulo fechado
Novamente, o olho não drena adequadamente porque os canais estão bloqueados. A diferença nesta forma é que a íris do olho não se abre tanto quanto deveria. A pressão ocular ocorre muito mais rapidamente. Quanto isto acontece pode sentir enxaquecas intensas e náuseas, o que exige atenção médica imediata.
Apesar de ainda não existir cura para o glaucoma, este pode ser controlado e tratado. Tal como muitas doenças, é muito importante detectar o problema cedo. Certifique-se de ir ao oftalmologista regularmente mesmo que se sinta bem.

Fonte: Sociedade Brasileira de Glaucoma – SBG

>> O que é DMRI?

A Degeneração Macular Relacionada à Idade, mais conhecida pelas iniciais DMRI, é uma doença que afeta a área central da retina (mácula). Esta degeneração, como diz o nome, ocorre por conta da idade e costuma aparecer após os 60 anos. É considerada uma das principais causas de cegueira entre as pessoas da melhor idade.

A DMRI é caracterizada pelo surgimento de uma mancha (mancha central), que ocasiona uma baixa visão nesta área e dificulta diversas atividades, como a leitura.

A grande maioria (90%) dos casos de degeneração macular é classificada como DMRI seca ou não-exsudativa. Nesta forma, considerada mais branda, a degeneração da mácula ocorre de forma mais lenta.

Os outros 10% são da forma mais severa conhecida como exsudativa. A DMRI exsudativa é caracterizada pelo desenvolvimento de vasos sanguíneos anormais sob a retina, o que leva a uma perda rápida e irreversível da visão. Essa forma é a principal responsável pela grande perda visual central dos casos de degeneração macular.

Embora os danos à visão central causados pela DMRI sejam irreversíveis, sabe-se que o diagnóstico precoce e os cuidados com a saúde dos olhos podem ajudar a controlar alguns efeitos da degeneração macular.

Portanto, se você notou alguma alteração na visão central, tem pessoas na família que sofrem de DMRI ou mais de 50 anos de idade, faça os exames que detectam a doença e visite regularmente um oftalmologista.

>> O que é RETINOPATIA DIABÉTICA?

A retinopatia diabética se caracteriza pelo acúmulo de açúcar nos vasos sanguíneos que irrigam a retina. Este acúmulo vai aos poucos deteriorando as células, que ficam mais permeáveis e acabam formando edemas na retina. Além disso, ocorre acúmulo de material na parede dos vasos, levando a um bloqueio da passagem de sangue até que ocorra um vazamento (hemorragia).

Tais lesões podem levar à distorção das imagens captadas pela retina, que é a parte do olho responsável pela captação da imagem e seu envio ao cérebro.

É importante, portanto, que o paciente de diabetes se conscientize de que a retinopatia é hoje a maior causa de cegueira na população adulta.

Estima-se que 90% dos pacientes de diabetes tipo 1 e 60% dos pacientes do tipo 2 devem desenvolver a retinopatia diabética ao longo da vida.

Vale lembrar ainda que não se trata de uma doença ligada à idade. A retinopatia atinge também adolescentes e adultos jovens, caso eles não controlem bem a taxa glicêmica.

>> Todo diabético tem mesmo o risco de perda visual? 

Infelizmente, a resposta para a pergunta é sim. Todo o paciente de diabetes mellitus (o nome completo do diabetes) precisa ficar muito atento em relação à saúde dos olhos, já que a doença provoca risco de perda visual. Para minimizar ao máximo este risco, é preciso adotar duas medidas fundamentais: controlar os níveis glicêmicos e fazer visitas regulares ao oftalmologista.

A grande inimiga dos olhos do diabético é mesmo é a Retinopatia Diabética. Esta doença pode atingir tanto pacientes de diabetes tipo 1 quanto de tipo 2, independentemente da idade. Ela surge quando os pequenos vasos sanguíneos que irrigam a retina passam a ficar danificados por conta do acúmulo de açúcar no sangue, provocando edemas e hemorragias na retina. A visão fica distorcida, borrada, com surgimento de pontos escuros e flutuantes.

Os pacientes acometidos de Retinopatia Diabética podem apresentar ainda o Edema Macular Diabético. Este desenvolvimento da doença prejudica uma parte “nobre” da retina, conhecida como mácula, que é responsável pela visão central e pela identificação das cores. O excesso de açúcar no sangue por longos períodos é o vilão do Edema Macular, pois provoca o acúmulo de líquidos e de proteínas na mácula, levando a um inchaço na região. A hipertensão arterial (pressão alta), outro problema correlato do diabetes, também pode levar ao Edema Macular.

Para se prevenir destas duas doenças, o diabético deve seguir o tratamento à risca passado pelo médico (uso de medicamentos, aplicação de insulina – se for o caso -, além de mudar o estilo de vida, com boa alimentação e prática de exercícios). Mas outra medida fundamental é fazer exames periódicos com um oftalmologista especialista em retina, profissional que vai identificar precocemente o surgimento da Retinopatia ou do Edema Macular. Lembre-se: quanto antes estas doenças forem descobertas, maiores as chances de controle ou mesmo cura.

Fonte: Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV)