Glaucoma – a doença silenciosa

visão_normal-e-com-glaucoma-avançado_O glaucoma é uma doença que pode levar à cegueira quando não devidamente diagnosticada e tratada. A doença comumente atinge ambos os olhos e suas lesões são irreversíveis. O glaucoma está geralmente ligado a alterações da pressão de um líquido transparente chamado humor aquoso, que é produzido dentro do olho.

O humor aquoso nutre as estruturas internas e é escoado por microcanais na região mais anterior dos olhos. Quando existe dificuldade no escoamento deste líquido, a pressão ocular aumenta de forma progressiva, e se o olho não suportar, há riscos de danos nas fibras nervosas. A obstrução dos microcanais de saída do humor aquoso pode se dar por uma variedade grande de doenças e por isso existem vários tipos de glaucoma dependendo do fator causal.

O glaucoma mais frequente é chamado glaucoma de ângulo aberto que pode ser herdado (hereditário), acometer pessoas acima de 40 anos, atingir mais comumente pessoas de raça negra (4 vezes mais) entre outros fatores de risco como miopia, uso de corticosteróides, diabetes, etc.

A pressão elevada atua na região mais fraca e suscetível do olho chamada papila óptica onde o nervo óptico deixa o olho em direção ao cérebro (lobo occipital).

O nervo óptico, que transporta as informações visuais, tem em média um milhão de fibras nervosas. Estas fibras, quando sob alta pressão, alteram seu fluxo interno e sua oxigenação, podendo levar à morte progressiva e em grandes quantidades.

A perda da visão inicia-se nas regiões periféricas do campo visual e vai se afunilando, até uma situação chamada visão tubular, estágio anterior à cegueira. O diagnóstico do glaucoma pode prevenir esta situação. Porém, o paciente geralmente não percebe a doença, uma vez que na maioria dos casos o desenvolvimento é tão lento que não chega a ocasionar sintomas (sem dor, olhos vermelhos ou conscientização da perda da visão).

É comum as pessoas procurarem o especialista em estágios muito avançados da doença, e levando-se em conta a simplicidade do tratamento baseado em colírios e eventualmente cirurgia, é de crucial importância a consulta periódica com o médico Oftalmologista, para avaliar a sua saúde ocular e, se necessário, na suspeita, realizar exames de última geração para elucidação diagnóstica e tratamento preciso.

 

Conheça os especialistas da área: